quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Coitada da Amélia!



 Vocês lembram daquela musiquinha que diz que Amélia que era mulher de verdade? Pois é. Coitada dela! Onde já se viu achar bonito não ter o que comer? Não gosto dessa música, digam o que disserem. Se bem que Amélia "picou a mula", pelo que eu entendo. Mas isso não vem ao caso. Hoje tanto se fala em preconceito, racismo, homofobia, iada, iada, iada. Implicaram com a "loira burra" e esqueceram de outras coisas que também ferem e ofendem.
   Ainda é muito natural a depreciação da mulher publicamente, como se isso também não fosse uma espécie de preconceito. Uma mulher "tem" que jogar conforme as regras impostas pela sociedade? Para todos é muito natural que a mulher faça os trabalhos domésticos, eu mesma passo por isto todos os dias. Tudo bem, todo os que moram sós precisam encaram uma faxina, cozinhar, "se virar". Mas, e nós, mulheres que, além de trabalharmos fora, quando chegamos em casa ainda temos que encarar uma vassoura, um fogão e cia? Amélia que me perdoe, mas eu não acho bonita a miséria, a submissão ou qualquer equivalente. Ou será que era o dito cujo que achava que a pobre Amélia pensava assim? Sim, porque a grande maioria dos homens acredita que pode "pensar" pelas mulheres, alienando sem dó suas capacidades de pensar e decidir o que é melhor. Grande erro! Se as devidas oportunidades forem dadas, as mulheres serão capazes de tudo. Essas sim, são mulheres de verdade, as lutadoras e não as que se deixam relegar à condição de "bicho de estimação" de um macho que, na maioria das vezes, são mais do que irracionais.
 Eu não sinto nem um pingo de saudade da Amélia e acho que nem ela sente saudade de si mesma, de quando era uma "serva" de uma pobre criatura que sequer entendia seus motivos de segui-lo. Sim, muitas vezes somos tolas o suficiente para sermos companheiras de perdedores. Não estou dizendo que o homem da música o era, nem que os homens sofridos de nosso povo são todos assim por passarem fome. Não poderia afirmar esse absurdo, vivendo no país em que vivo e tendo os líderes que tenho no Governo, muito embora pare para pensar que tais líderes lá estão porque nós ali os colocamos (mas isso é conversa para outra hora). Não desejo desmerecer nossos homens. Falo da grande leva de pessoas que se acomodam, estagnadas em sua mesmice, preguiça e covardia. Tudo isso é contagioso e cansa. Talvez esse seja o motivo de Amélia ter "ralado o peito", não sei dizer. Mas, sendo esse o motivo ou não, ela se cansou. Qualquer ser humano cansa de lutar sem resultado. Cansa de perder uma batalha atrás da outra. E essa conversa de "eu sou brasileiro e não desisto nunca" é "papo pra boi dormir". E o boi já está "roncando" faz tempo.


Este texto foi publicado por mim em O Recanto das Letras, em 28 de junho de 2008.
Tramas e mentiras




  Tem uma música do Legião Urbana com a qual me identifico demais. Ela diz algo do tipo “achar que o mundo é perfeito e todas as pessoas são felizes”. Eu fico surpresa comigo mesma, porque, por mais que o tempo passe e eu envelheça (sejamos realistas, todos estamos envelhecendo), sempre me engano com as pessoas. Não, o mundo não é perfeito! Não, a grande maioria das pessoas não é feliz! E sim, a grande maioria dos homens é um bando de narcisistas, que se acham! Vou lhes contar o caso que aconteceu com uma amiga (foi com ela mesmo, pessoas. Estou sozinha faz mais de sete  anos, porque não estou querendo me magoar). Ela conheceu o bendito camarada e começou a namorar. Tadinha, apaixonada que só ela. Fazia tudo pelo namorado. Até pedir permissão a ele pra participar de um grupo lá a menina pediu. Ok! Tudo muito bom, tudo muito bem. Uma bela sexta-feira, ele falou com ela brevemente e… sumiu! Ela ficou desesperada porque o cretino tinha a mania de correr de moto, sei lá. Participava de campeonato, qualquer coisa do gênero. Ela sabia que não ia vê-lo no final de semana porque ele falou, mas já na quarta-feira ela não tinha noticias do bicho. Falava com a irmã, a mãe e nada! Ligava pra mim direto chorando. Acendia vela para tudo quanto era santo, pra pedir pelo cara, achando que ele havia sofrido um acidente. Pessoas, nem falo a vocês da angústia dessa garota. Por fim, na quarta-feira de tarde, coloquei mãos à obra e fui  “pesquisar”.  Ah, minha gente, achei o cara! Estava muito vivo, de caso com outra. A irmã dele sabia de tudo e ficou caladinha pra proteger o cabra! Sabe o que o sem vergonha ia fazer? Sumir sem nem dar satisfação! Fiquei possessa! Ah, fiquei! Não era comigo, mas era com uma garota que, eu afirmo com minha total honestidade, é simplesmente uma pessoa sensacional! Um coração do tamanho do mundo! Se fosse comigo ele já estaria morto! Sabem qual foi a desculpa esfarrapada dele? Disse que ela o traia! Nunca que aquela pessoinha ia trair alguém, até porque nunca vi uma criatura mais apaixonada! Acontece que esse sacana já estava de caso com a outra, de quem a namorada dele tinha muito ciúme! Ela me falou que ficava se sentindo mal quando via a outra quase dando pra ele em público! E, todos nós sabemos que quando um não quer, dois não brigam (parafraseando essa minha amiga, ela adora falar isso pra mim). Enfim, pessoas, quando um homem quer trair, ele arruma culpas na mulher, nos filhos e até no cachorro porque a culpa nunca será dele. Eles, traidores, não se contentam em ter uma mulher que lhes dê amor, que seja honesta. Dão preferência às vadias, que no final, vão fazer com eles a mesmíssima coisa, depois que enjoarem e encontrarem outro homem comprometido, coisa nova pra elas. Hoje, sexta-feira, ela ainda chora por esse canalha que, além de tê-la traído e humilhado, ainda pôs em dúvida seu caráter. Mas o mundo gira e a vida continua. E eu, essa trouxa aqui, ainda tenho a capacidade de me espantar com essas atitudes. Acho que vou morrer assim.
  Fabi, querida, você merece mais!